quinta-feira, 12 de abril de 2012

TAMOIOS, a coqueluche do momento, mas, até quando?


"QUE FORMOSA APARÊNCIA TEM A FALSIDADE."

Esta frase foi dita e publicada pelo grande William Sharkespeare, dono de frases marcantes e conhecidas por muitos, Sharkespeare também falou: "Ser ou não ser, eis a questão: será mais nobre em nosso espírito sofrer pedras e setas com que a fortuna, enfurecida, nos alveja, ou insurgir-nos contra um mar de provações e em luta pôr-lhes fim?"

Tenho observado atentamente a nova "coqueluche do momento." TAMOIOS!

Quantos, escondidos na escuridão de seus interesses, agora "erguer a bandeira tremulada de amor a Tamoios?"

Quantos, "lotado de bondade divinal" gritam nas esquinas, EU AMO TAMOIOS!

Só uma pergunta me vem a cabeça quando vejo estas barbáries e falsidades!

Onde estavam todos estes que agora gritam o abandono deste povo?

Onde estavam todos estes, quando a violência cotidiana invadia com sua fúria os becos e ruas elamiadas, matando e roubando?

Onde estavam todos estes, quando uma família lamentava a morte de um ente querido na ausência do poder público?

Onde estavam estes, quando as drogas e cemitérios de carros roubados começaram a aparecer por aquelas bandas?

Não sejamos hipócritas, muitos não estavam lá e na verdade não estão, essa euforia toda tem data e hora certa para acabar!

07 DE OUTUBRO DE 2012 ÁS 17:01hs

E se não formos capazes de reconhecer isto agora, seremos mais uma vez enganados e envenenados pelos pseudos protetores do povo invisível de Tamoios

Sempre sonhei e desejei esta defesa por uma Tamoios melhor, só que estou decepcionado e ao mesmo tempo receoso com essa euforia que não está me cheirando bem!

Tem gente que está pegando o bonde andando e nem mesmo quer sentar na janela, quer sim, pilota-lo! E isso é grave!

Quanta labuta foi para se conseguir uma APAE para Tamoios?, Só quem lutou sabe o que foi! 

Não estou aqui para atrapalhar sonhos reais de quem sempre lutou por Tamoios, estou aqui para apresentar a realidade dos fatos que está sendo acobertada por uma euforia de quem nunca moveu uma palha para Tamoios ter ao menos dignidade!

Pode me xingar, pode falar bobagens a meus respeito, pode me atacar seja como for, sou livre e tenho autonomia para falar de Tamoios, pois eu acompanho essa luta desde sempre!

Moro no 1° Distrito e sempre defendi este povo, que particularmente sempre chamei de irmãos!

Para encerrar esta postagem, peço apenas aos verdadeiros TAMOIENSES que observem com calma e frieza quem é quem nesta luta, e quem são os lobos devoradores de sonhos alheios ou essa euforia terá data e hora para acabar 

07 DE OUTUBRO DE 2012 ÁS 17:01hs

Este é o desabafo de um cara que sempre olhou para os sonhos de vocês como realidade e não como utopia!

Manoel Atanasio

3 comentários:

Tércio Schelck disse...

Brilhante como sempre amigo Atanásio !!!! Parabéns , pois em suas palavras, foram ditas grandes VERDADES. Vamos lutar contra os poderosos abutres devoradores de votos, de sonhos e até de almas e pasmem, eis que surgem os mesmos caras de pau que aqui residem e querem levar no peito, a fama de terem criado um movimento de verdade pelo melhor para Tamoios. Me poupem..... a vááááá...

Ana Maria Henriques disse...

Obrigado por juntar sua voz à nossa!! Vamos saber identificar estes ratos de praia,aproveitadores e com toda certeza separá-los dos bons. Haveremos de conseguir isto meu amigo, pois embora seja obrigada a votar por mais 18 anos, creia esta é a última campanha que participo ativamente. Lógico que não ficarei escondida atrás de um muro, só de tocaia,mas ativamente não mais. Poucas pessoas conhecem Tamoios como vc, até mesmo moradores. Se hoje eu tiver que ir aos lugares que fui em 2006, na 1ª campanha que trabalhei para Paulo Ramos, certamente não vou reconhecer,pois 6 anos já se passaram e o crescimento vem aumentando dia a dia. Mas vc tem razão só quem andou por estas ruas cheias de lama, ou de uma poeira intensa pode dizer que já viu Tamoios, mas jamais que a conhece!!

Prof. Chicão disse...

Seria bom que vc desse nome aos bois, pois está colocando todos no mesmo saco.