domingo, 20 de novembro de 2011

Qual é sua opinião para amenizar o CAOS NA SAÚDE PÚBLICA?


Se tem algo perturbador na vida de alguém é o problema de saúde, quando estamos ou temos alguém querido passando por este tipo de angustia, a vontade é que tudo se resolva rapidamente

Porém, o que fazer quando a saúde pública não funciona como deveria, o que fazer quando nem o básico funciona?

Será que todos os recursos investidos na saúde é de fato muito pouco?

Será que existe um controle rigoroso neste setor?

O que faz com que um profissional da saúde erre em coisas corriqueiras como uma simples troca de medicamento?

Os salários baixos dos profissionais da saúde é o grande causador do mal atendimento por parte de alguns, que se quer examinam o paciente?

Custa mais prevenir ou curar?

E porque existe tanta reclamação neste setor?

Exames centralizados e um banco de dados, acabariam por definitivo com as filas e a demora na marcação?

E os PSF's, funcionam como deveriam?

Hoje, eu e você teremos a oportunidade de estar no lugar do secretário de saúde de nossa Cidade, e ao invés de criticar, iremos dar nossa opinião e contribuição para este setor

Lembrando apenas que saúde pública não se resume somente a internações e emergências!

Gostaria, se possível que os pré-candidatos a prefeito e vereadores, dessem sua opinião a respeito, afinal, o mundo roda e vocês um dia possam vir a ser o secretária de saúde de nossa Cidade

De igual modo, gostaria também de pedir as emissoras de rádio e tv's de nossa Cidade que debatessem o assunto, não o que está errado, mais sim o que se pode fazer para melhorar! 

 Cabo Frio recebeu do governo Federal até o momento R$ 7,121,895,77
(Sete Milhões, Cento e Vinte e Um Mil, Oitocentos e Noventa e Cinco Reais e Setenta e Sete Centavos) Para a saúde

Agora você é o "secretário de saúde de nossa Cidade", o que você faria?

2 comentários:

VICENTE DE TAMOIOS disse...

Atanasio, sei que vivemos um problema em nível Nacional quando se trata de saúde. Mas tenho uma teoria comigo, vejo a saúde como base fundamental para uma vida. Não vejo qual a dificuldade em resolver quando se trata de um Município tão rico, onde se gasta 8 milhões para fazer um poliesportivo, se voce não for saudável não usa. Onde se gasta 10 milhões para fazer uma praça, se não esta bem de saúde também não usa. Só para o Natal de segunda mão 3 milhões, enfim o problema está na competencia e não em verba, o que nossos Governantes precisam é saber escolher as prioridades : Saúde, Educação e Segurança. O resto será uma boa consequencia. Esta é minha humilde opinião. Abraço.

Ana Maria Henriques disse...

Acredito que tudo tem seu início, e o princípio da saúde começa na Faculdade. Hoje em dia não se formam mais médicos com ideologias de salvar as pessoas,mas sim com a ganancia de consultórios de luxo onde possam cobrar o olho da cara por uma "consulta"! Meu pai foi médico e lutou muito para conseguir formar-se. Sua residência foi no "velhíssimo" SAMDU, onde hoje é a TV Globo,na Rua Von Martius 22. Ali ele aprendeu de tudo, a cuidar de qq ser humano e especializou-se em pedatria.Por erro médico foi considerado incapaz e aposentado na firma onde ainda trabalhava (para sustentar a família que já existia).Com essa aposentadoria, foi procurar um lugar para estabelecer-se. Ele poderia ir muito bem para Copacabana,Leblon, Ipanema ou até mesmo Botafogo. Mas não! Foi para S.Cristóvão (r. Teixeira Jr, atrás de uma farmácia) e ali ele começou sua vida de médico para amenizar o sofrimento dos pequenos.Porem não se recusava atender os adultos. Este foi meu pai que formou-se em Medicina por ideologia e não para enriquecer.
Depois, falta incentivo público,ou seja pagar melhores salários para toda classe envolvida com a saúde.
Faltam hospitais bem equipados e bem conservados. A manutenção dos hospitais é fundamental para um bom atendimento aos pacientes.
Profissionais atenciosos, desde a recepção até a limpeza, passando por médicos e enfermeiros capacitados para lidar com com pessoas doentes, que se tornam muito mais sensíveis pelo simples fato de estarem doentes e longe daqueles que amam.
Se querem fazer um atendimento médico-hospitalar-ambulatorial de 1ª qualidade primeiro contratem pessoal gabaritado e não por motivos políticos, o tal assitencialismo!!!